Energias Renováveis

Empresa portuguesa aposta em fornecedores nacionais para a construção de painéis solares

A Energie – uma empresa de construção de painéis solares termodinâmicos – decidiu apostar em fornecedores nacionais de componentes que são utilizados nos sistemas solares, por forma a diminuir a dependência de importações. “Antes da pandemia, 70% dos componentes dos nossos equipamentos eram importados. Atualmente, 80% dos materiais que utilizamos na produção dos nossos sistemas solares são made in Portugal”, revela o CEO da Energie, Luís Rocha.

Em comunicado, a empresa da Póvoa de Varzim dá conta de que a pandemia de covid-19, nomeadamente a fase de confinamento, colocou em evidência a necessidade de as empresas diversificarem fornecedores.

“A propagação do novo coronavírus desencadeou uma situação de crise nas cadeias de abastecimento a nível global. Nos primeiros tempos da primeira vaga da pandemia, com a situação de confinamento que muitos países estavam a atravessar e até com o encerramento de algumas fronteiras, sentimos dificuldades em importar peças e componentes”, revela Luís Rocha.

Para resolver o problema, e sem prejudicar a produção nacional, a empresa procurou novos fornecedores no mercado português. “Sabíamos que viria uma segunda vaga e que continua a não existir uma ideia concreta da dimensão que a pandemia vai assumir durante o Inverno”, aponta o CEO da Energie. “Nesse sentido, quisemos encontrar empresas portuguesas capazes de nos fornecer, na certeza de que esta proximidade implicará menos riscos durante períodos mais críticos da pandemia”, acrescenta.

De acordo com Luís Rocha, a qualidade dos componentes e o preço praticado pelas empresas nacionais “são competitivos”, pelo que “conseguimos arranjar soluções que garantem a competitividade em relação a outros importadores”, garante o responsável.  “Tanto mais que, atualmente, 80% dos componentes utilizados na produção dos sistemas solares termodinâmicos Energie são made in Portugal”, enaltece.

A Energie produz painéis solares termodinâmicos com aplicações no domínio do aquecimento central, das águas quentes sanitárias, da climatização de piscinas e do aquecimento de águas de grande volume. Em 2019, a empresa produziu cerca de 10 mil painéis solares e exportou para cerca de 50 países, entre os quais Espanha, França, Itália, Dubai e Austrália.