Descarbonização

Apenas 19% dos líderes de empresas adotaram medidas sustentáveis apesar de preocupação

Quase todos os líderes C-Level  (97%) afirmam que as suas empresas já foram negativamente afetadas pelas alterações climáticas.

Quase todos os líderes C-Level  (97%) afirmam que as suas empresas já foram negativamente afetadas pelas alterações climáticas, surgindo no topo os impactos operacionais. A conclusão é do novo estudo CxO Sustainability 2022 da Deloitte, sobre sustentabilidade climática a nível global. Apesar desta preocupação, apenas 19% implementou pelo menos quatro ações sustentáveis, sendo que 14% não implementou nenhuma delas.

A análise da Deloitte identificou cinco ações fundamentais que, especialmente quando tomadas em conjunto, demonstram um empenho mais profundo das empresas:

  1. Desenvolvimento de novos produtos ou serviços mais sustentáveis;
  2. Exigir que fornecedores e parceiros de negócios adotem medidas de sustentabilidade;
  3. Atualização ou realocação das instalações para torná-las mais resistentes aos impactos climáticos;
  4. Incorporar considerações climáticas em ações de lóbi e doações políticas;
  5. Indexação da remuneração dos líderes ao desempenho de sustentabilidade da empresa.

Para os líderes, no topo da lista de maiores benefícios da adoção de iniciativas deste tipo estão o reconhecimento e reputação da marca (49%), a satisfação dos clientes (46%), o próprio combate às alterações climáticas (43%) e a moral e bem-estar dos colaboradores (42%).

O estudo identificou dois fatores que levam as empresas para agir no combate às alterações climáticas: o reconhecimento do problema (89% reconhece estarmos perante uma emergência climática) e a pressão que sentem para agir (77%) por parte dos seus stakeholders (reguladores/governos, consumidores, sociedade civil, colaboradores, entre outros).