Mobilidade

Carros elétricos: Portugal está no top quatro europeu de mais pontos de carregamento

Portugal ocupa a quarta posição europeia ao nível dos pontos de carregamento de carros elétricos, com 14,9 pontos por cada 100 km de estrada.

Portugal ocupa a quarta posição em toda a União Europeia ao nível dos pontos de carregamento de carros elétricos, com 14,9 pontos por cada 100 quilómetros de estradas. A informação foi divulgada pela Associação Europeia de Construtores de Automóveis (ACEA, na sigla em inglês para European Automobile Manufacturers’Association). No entanto, a associação ressalva que existe “uma séria falta de pontos de carregamento elétrico ao longo das redes rodoviárias na maioria dos estados-membros da União Europeia”, avança o Expresso.

O país a dominar o ranking são os Países Baixos ( com 47,5 pontos de carregamento) e o Luxemburgo (com 34,5), seguido pela Alemanha (com 19,4).

Os resultados apurados pela ACEA mostram que 10 países não têm sequer um carregador para cada 100 quilómetros de estradas [mais relevantes]. Em todos estes países a taxa de penetração de carros elétricos é inferior a 3% (exceto na Hungria) do mercado automóvel em geral.

Além disso, 18 estados-membros da UE têm menos de 5 pontos de carregamento por cada 100 km de estrada, com apenas quatro a exibirem mais de 10 carregadores para cada 100 km de estrada.

Comentário da ACEA

A ACEA recorda que a Comissão Europeia propôs que até 2030 as emissões de CO2 dos carros novos fossem 55% menores do que os níveis de 2021 – acima da meta de 37,5% para 2030 estabelecida apenas três anos atrás.

No entanto, “os consumidores não serão capazes de mudar para veículos com emissão zero se não houver postos de abastecimento e recarga suficientes ao longo das estradas por onde eles se deslocarem”, nota o diretor geral da ACEA, Eric-Mark Huitema.

“Por exemplo, se os cidadãos da Grécia, Lituânia, Polónia e Roménia ainda precisam viajar 200 km ou mais para encontrar um carregador, não podemos esperar que eles estejam dispostos a comprar um carro elétrico”, sugere o mesmo responsável.

Na sua visão, terá de ser feito “um grande progresso na implantação de infraestruturas em toda a UE num período de tempo muito curto. Os avanços feitos em alguns países da Europa Ocidental são encorajadores, mas não nos devem distrair do terrível estado da rede de carregamento noutros estados da EU”.

“Infelizmente, a proposta de um regulamento de infraestruturas de combustíveis alternativos – que também consta do pacote Fit for 55 – está fora de sincronia com as ambições da Comissão para as metas de CO2. Embora apreciemos a introdução de metas obrigatórias muito necessárias para postos de recarga e reabastecimento em cada estado membro, eles vão necessitar de ser fortalecidos significativamente se quisermos cumprir nossos objetivos climáticos”, conclui o responsável.