Descarbonização

Redução das emissões de CO2 em 40% é a nova meta da DS Smith até 2030

A DS Smith, empresa de packaging sustentável, quer reduzir em 40% as emissões de CO2 por tonelada de produto até 2030, face a 2019.

Reduzir em 40% as emissões de CO2 por tonelada de produto até 2030, face a 2019, é a nova meta da empresa de packaging sustentável DS Smith.O anúncio ocorre no âmbito do seu compromisso com os Science Based Targets (SBTi), tendo também fixado uma meta para atingir as zero emissões líquidas até 2050.

A empresa revela ainda, em comunicado, que os objetivos serão validados pela iniciativa “Science Based Targets” e que aderiu à campanha “Race to Zero” da ONU.  Para alcançar os objetivos, a DS Smith pretende adotar soluções como a utilização de biomassa e biogás locais, e a utilização de energias renováveis como a eólica e a solar.

Em 2017, a empresa de packaging anunciou o seu objetivo de reduzir as emissões de CO2 por tonelada de produto em 30% até 2030, em comparação com 2015. A DS Smith revela que conseguiu uma redução de 23% até ao final de 2020, o que a coloca à frente dos seus planos.

O marco foi possível através de soluções de transformação de resíduos em energia, instalações de cogeração energética e atualizações de equipamento, desde novas caldeiras a iluminação LED.

Comentários

O Group Chief Executive da DS Smith; Miles Roberts, afirmou: “Já progredimos muito na redução das emissões de carbono como parte da nossa abordagem de sustentabilidade a longo prazo, mas sabemos que necessitamos de fazer muito mais. É por isso que não só estabelecemos metas climáticas ambiciosas, como também reforçamos o nosso compromisso de disponibilizar mais soluções circulares aos nossos clientes e à sociedade em geral”.

Já o Andrew Morlet, CEO da Fundação Ellen MacArthur, parceira estratégica da DS Smith, declarou: “A mudança para energias renováveis apenas pode reduzir em 55% as emissões de gases com efeito de estufa, os restantes 45% provêm da forma como produzimos e utilizamos os produtos – pelo que a transição para uma economia circular é vital para enfrentar as alterações climáticas, bem como outros desafios globais”.

Além do compromisso com a ação climática, a DS Smith anunciou recentemente um investimento de 116 milhões de euros em I&D e inovação para impulsionar o seu trabalho em torno da economia circular. Recorde-se que a empresa se comprometeu a produzir embalagens 100% recicláveis ou reutilizáveis até 2023.