Mobilidade

EasyJet introduz combustível sustentável para a aviação pela primeira vez em Gatwick

O aeroporto de Gatwick vai passar a ter um total de 42 voos da easyJet alimentados por uma mistura de 30% de combustível sustentável para aviação (SAF). O primeiro destes voos realizou a descolagem no dia 19 de outubro, sendo a primeira utilização deste serviço pela easyJet no Reino Unido.

Em comunicado, a companhia aérea diz que “isto confirma o forte empenho de todos os parceiros envolvidos no projeto – fornecedor internacional de combustível de aviação Q8Aviation, easyJet, Aeroporto de Gatwick e Neste – em alcançar uma redução líquida das emissões de carbono do combustível utilizado na aviação e trabalhar para um objetivo final, que consiste em alcançar emissões líquidas zero na aviação até 2050”.

39 dos voos da easyJet vão operar de Gatwick para Glasgow durante a Conferência sobre Alterações Climáticas COP26, que decorre de 31 de outubro a 12 de novembro.  Através destes 42 voos, as emissões de CO2 serão reduzidas até 70 toneladas.

Processo de produção do SAF

O combustível sustentável da Neste é produzido a partir de resíduos e matérias-primas residuais 100% renováveis e sustentáveis, tais como óleos alimentares usados e resíduos de gordura animal.

O SAF é misturado com combustível Jet A-1 num depósito a montante do aeroporto de Gatwick para criar um componente compatível com os motores de avião já existentes e com a infraestrutura aeroportuária, sem necessidade de investimento extra. Depois, a Q8Aviation entrega então o combustível aos tanques principais de armazenamento no aeroporto de Gatwick para fornecer os aviões da easyJet através do sistema de hidrantes elétrico (que atua como boca distribuidora de combustível para aviação) do próprio aeroporto.

Comentários das empresas envolvidas

O diretor de Sustentabilidade da easyJet, Jane Aston, afirma que “a disponibilidade do SAF ainda precisa de crescer, mas será uma solução importante no nosso caminho de descarbonização, enquanto apoiamos o desenvolvimento de aviões com emissões zero, que será a solução mais sustentável para redes de curto curso, como a nossa, a longo prazo”.

Já o diretor de Corporate Affairs, Planeamento e Sustentabilidade do Aeroporto de Gatwick, Tim Norwood, comenta que “o SAF é uma das várias vias que permitirá à aviação britânica e a Gatwick atingir o carbono zero líquido até 2050, juntamente com as compensações de carbono, a modernização do espaço aéreo e a inovação contínua na tecnologia aeroespacial, incluindo sistemas de aviões elétricos, de hidrogénio e híbridos”.