Tecnologia

Sustentabilidade corporativa: 61% das pessoas crê que bots terão êxito onde humanos falharam

O estudo “No Planet B”, desenvolvido pela Oracle e por Pamela Rucker, consultora de CIO, revela que as pessoas em todo o mundo estão a exigir mais progresso em relação às iniciativas sociais e de sustentabilidade e esperam que as empresas sejam mais proativas. A inteligência artificial e os bots são vistos como ferramentas que podem ajudar a alcançar a sustentabilidade corporativa.

As grandes conclusões do estudo são:

  • 94% das pessoas acreditam que a sociedade não fez progressos suficientes;
  • 42% atribuem a falta de progresso ao facto de as pessoas estarem muito ocupadas com outras prioridades;
  • 78% estão frustradas e cansadas da falta de progresso das empresas até ao momento;
  • 89% acreditam que não é suficiente que as empresas digam que estão a dar prioridade às práticas ambientais e sociais (ESG), mas sim que precisam de ver resultados;
  • 84% acreditam que as empresas fariam mais progresso em relação à sustentabilidade e objetivos sociais com a ajuda da IA;
  • 61% acreditam que os bots terão êxito onde os humanos falharam.

O estudo nota ainda que os líderes empresariais sabem que os esforços de sustentabilidade são fundamentais para o sucesso corporativo (92%) e até confiam em bots mais (93%) do que em humanos para impulsionar as iniciativas sociais e de sustentabilidade:

Os responsáveis pelas empresas acreditam que os bots são melhores em angariar diferentes tipos de dados sem erros (43%), tomar decisões racionais e imparciais (42%) e prever resultados futuros com base em métricas/desempenho prévio (41%).

“Os resultados mostram que as pessoas são mais propensas a fazer negócios e trabalhar para organizações que agem com responsabilidade em relação à nossa sociedade e ao meio ambiente. Este é o momento ideal. Embora o pensamento tenha evoluído, a tecnologia também evoluiu e pode desempenhar um papel fundamental na superação de muitos dos obstáculos que impediam o progresso”, considera a consultora de CIO e instrutora de Desenvolvimento Profissional de Harvard, Pamela Rucker.

Metodologia

Os resultados são baseados numa pesquisa realizada pela Savanta, Inc. entre 25 de fevereiro e 14 de março de 2022 com 11 005 entrevistados globais de 15 países (Estados Unidos, Reino Unido, Alemanha, Holanda, França, China, Índia, Austrália, Japão, Singapura , África do Sul, Emirados Árabes Unidos, Arábia Saudita, Brasil e México).