Reciclagem

Reciclagem cresceu 4% em 2020, segundo EGF

EGF

A EGF, empresa do Grupo MOTA-ENGIL/URBASER responsável pelo tratamento e valorização de resíduos urbanos em 174 municípios de Portugal e de 60% da população Portuguesa, registou em 2020 um aumento na recolha seletiva de 4% face a 2019. O aumento contrasta com o decréscimo da produção total de resíduos de em 5%.

Em comunicado, a empresa revela que, em fevereiro de 2020, antes dos efeitos da pandemia, a Recolha Seletiva crescia 19% face ao período homólogo. Além disso, “tudo indicava que seria um ano de crescimentos acentuados”. No entanto, “os números registados são inferiores à expectativa inicial, mas são mesmo assim positivos”.

Efeitos da Pandemia

A EGF destaca os efeitos da pandemia nestes resultados, “dos quais se realçam a maior presença das famílias em casa (onde se recicla mais) e, também por isso, a deslocação da produção de resíduos para as áreas periféricas das cidades, o fecho do comércio, a quase ausência de turismo e alteração de hábitos de consumo”.  Mas também se constata a diminuição dos resíduos produzidos, contrariando a tendência crescente dos últimos anos.

Recolha

A recolha de recicláveis das empresas Amarsul, Suldouro e Resinorte teve crescimentos superiores a 16% em comparação ao período homólogo. Em sentido inverso, a ausência de turismo e fecho do comércio afetam as empresas Valorsul e Algar.