- Revista Sustentável - https://www.revistasustentavel.pt -

Viagens em veículos elétricos cresceram quase 70% em Portugal

A Free Now, [1] no âmbito da estratégia Make a Move, anunciou que, em 2021, se registou um crescimento das viagens em veículos elétricos [2] na ordem dos 69% no País. A divulgação de alguns dados sobre a sua operação em Portugal surge como forma de assinalar o seu aniversário de implementação de uma estratégia global para a sustentabilidade.

A par deste registo, a marca praticamente duplicou a preponderância de veículos elétricos na sua frota entre 2020 e 2021, sendo que o número de carros elétricos disponíveis na frota da Free Now cresceu 99%.

“Em 2021 a percentagem de veículos elétricos face ao total da frota foi de 15%. Em Lisboa, 13% do total dos veículos da frota é elétrico, no Porto são 19% e em Faro são 9%”, dado que teve maior relevância em outubro, sendo este o mês com mais viagens efetuadas por elétricos em 2021.

“O combate às alterações climáticas deve ser uma prioridade para os Governos, mas também para as empresas e sobretudo para todos os cidadãos. Desde o ano passado que estamos empenhados em contribuir ainda de forma mais ativa para descarbonizar as grandes cidades portuguesas e estes números comprovam o esforço realizado e a consequente evolução que se tem sentido na nossa operação. Os portugueses estão cada vez mais despertos para a urgência de se mudarem determinados hábitos, mas é fundamental dar-lhes alternativas práticas e acessíveis para que possam, efetivamente, mover-se sem comprometer o meio ambiente”, afirma Bruno Borges, General Manager da FREE NOW em Portugal.

E acrescenta: “É nisso que estivemos e estaremos apostados durante os próximos anos, sem esquecer que esta alternativa que refiro não passa apenas por Táxis e/ou TVDE. A nossa oferta de mobilidade sustentável é única no mercado nacional e vai muito além disto. Esperamos que, de ora em diante, os nossos utilizadores possam recorrer ainda mais às nossas scooters, ebikes, eMopeds e/ou trotinetes para se deslocarem até aos seus destinos de forma mais rápida, mais económica e, principalmente, mais limpa”.