Consumo ético

Electrão e ERP Portugal reagem às declarações da ZERO

REEE

Na sequência das recentes declarações da Zero sobre a recolha de resíduos elétricos e eletrónicos (REE), o Electrão e a ERP Portugal acusam a associação de prestar um “péssimo contributo ambiental” neste setor.

“Enquanto mais de 100 organizações pelo mundo fora se mobilizaram neste dia [Internacional dos Resíduos Elétricos] para comunicar […] uma mensagem de apelo à necessidade da alteração de comportamentos dos cidadãos para garantir a correta separação e encaminhamento para reciclagem dos resíduos elétricos, […] esta organização não governamental optou por vir a público intencionalmente descredibilizar o trabalho desenvolvido nos últimos anos pelas entidades gestoras signatárias, mas também pelos consumidores, municípios, retalhistas e demais empresas que se têm empenhado nesta causa nacional.”

Esta é a resposta do Electrão e da ERP Portugal às declarações da Zero, que acusou as “entidades gestoras destes resíduos [REE]” de “falham clamorosamente metas de recolha”.

Num comunicado publicado no site, a associação fala de um “colapso na recolha dos resíduos elétricos e eletrónicos”, argumentando que a “responsabilidade principal por este fracasso pertence ao Ministério do Ambiente e da Ação Climática (MAAC), que tem sistematicamente ignorado as inúmeras denúncias que a ZERO lhe tem apresentado sobre as graves situações que ocorrem neste setor”.

O Electrão e a ERP Portugal não se reveem nestas declarações, uma vez que, apesar dos maus resultados da recolha e reciclagem do país, têm “proposto às tutelas alterações ao quadro regulatório e legal estabelecido.

“Este tipo de iniciativas do dia Internacional dos Resíduos Elétricos são sobretudo importantes para sinalizar a questão ambiental associada à reciclagem e uma oportunidade para relembrar aos cidadãos de que nunca é demais o esforço e o empenho que colocam na separação dos resíduos e o no seu encaminhamento para reciclagem”, concluem as duas entidades.