Mobilidade

Elétricos gastam menos matérias-primas que carros a combustível fóssil

iStock  e

Um novo estudo da European Federation for Transport and Environment AISBL (T&E), organização não governamental de transportes mais verdes, revela que a bateria de um veículo elétrico (VE) utiliza só 30 quilos de matéria-prima, se forem utilizados materiais reciclados, em comparação aos 17 mil litros de petróleo queimados em média por carro.

Em comunicado, a T&E afirma que “a atual dependência de petróleo bruto da Europa supera em muito a sua necessidade de matérias-primas para baterias”.

“Quando se trata de matérias-primas, simplesmente não há comparação. Ao longo da sua vida, um carro de combustível fóssil em média queima o equivalente a uma pilha de barris de petróleo, com 25 andares de altura. Se tivermos em conta a reciclagem de materiais das baterias, apenas cerca de 30kg de metais seriam perdidos – aproximadamente do tamanho de uma bola de futebol”, afirma Lucien Mathieu, analista de transportes e mobilidade eletrónica da T&E.

O relatório revela também que, em 2035, mais de um quinto do lítio e 65% do cobalto necessário para fazer uma nova bateria pode provir da reciclagem.  A T&E afirma que “as taxas de reciclagem, que são exigidas ao abrigo de uma nova lei proposta pela Comissão Europeia, reduzirão significativamente a procura de novos materiais para VE – algo que não se pode dizer dos automóveis convencionais”.

Outras das revelações do estudo é que a Europa poderá produzir baterias suficientes para o seu próprio mercado de veículos elétricos já este ano. “Isto está muito longe da situação atual em que a frota automóvel da Europa está quase inteiramente dependente das importações de petróleo bruto. O aumento da eficiência e reciclagem das baterias deixará a UE significativamente menos dependente das importações de matérias-primas do que do petróleo”, acrescentou Lucien Mathieu.

Finalmente, de forma geral o estudo indica que os VE utilizam menos 58% de energia que um carro a gasolina durante a sua vida. De acordo com a ferramenta de análise do ciclo de vida da T&E, “mesmo na Polónia, que tem o fornecimento de eletricidade mais sujo da UE, os EV emitem menos 22% de CO2 do que os automóveis a gasolina”.

Recorde-se que, cada vez mais, tem existido um maior compromisso por parte das empresas automóveis em produzir veículos elétricos. Isso tem levado a uma maior procura por baterias elétricas.