Energias Renováveis

Investigadores desenvolvem processo químico para produção de energia

iStock 1321722551

Uma investigação que junta a Universidade de Northumbria (Reino Unido), Universidade de Cambridge (EUA), Universidade de Nagoya (Japão) e a Universidade de Newcastle (Reino Unido) desenvolveu um processo químico que converte a luz solar, a água e o dióxido de carbono em acetato e oxigénio para a produção de combustíveis de alto valor e produtos químicos alimentados por energias renováveis.

Segundo explica a Universidade de Northumbria, como parte do processo, bactérias são cultivadas no semicondutor sintético conhecido como photocatalyst sheet, que significa que a conversão pode ocorrer sem aditivos orgânicos, criação de toxinas ou utilização de eletricidade. O acetato gerado foi utilizado como matéria-prima de um sistema bioeletroquímico de geração de eletricidade.

O objetivo do projeto é reduzir o aumento dos níveis de CO2, garantir o abastecimento de energia verde e aliviar a dependência global dos combustíveis fósseis.

“Tem existido um aumento na produção de eletricidade a partir de fontes renováveis, como a eólica e solar, mas estas são de natureza intermitente. Para preencher a lacuna quando o vento não sopra ou o sol não brilha, precisamos de tecnologias que possam criar combustíveis e químicos sustentáveis. A nossa pesquisa aborda este desafio de frente”, considera o investigador Shafeer Kalathil.

A investigação foi publicada na revista científica Nature Catalysis.