Pessoas

Líderes empresariais: Green Skills serão o impulsionador mais importante da transição verde  

Líderes empresariais: Green Skills serão o impulsionador mais importante da transição verde  

A maioria dos líderes empresariais (79%) concorda que as Green Skills serão o impulsionador mais importante da transição verde, revela o “Green Skills Outlook” feito pela Economist Impact, apoiado pela Iberdrola. Apesar disso, apenas 55% está a implementar ou a planear implementar programas de Green Skills para as suas forças de trabalho.

O “Green Skills Outlook” constatou também que 62% dos líderes empresariais mundiais afirmam que a falta de Green Skills criará constrangimentos que atrasarão a transição verde.

À medida que as indústrias mais sustentáveis ganham destaque, os líderes empresariais estão a ficar mais otimistas em relação à transição verde, com 79% a afirmar que apresenta mais oportunidades do que desafios para as suas organizações.

Os líderes empresariais europeus, embora geralmente otimistas, adotam uma postura ligeiramente mais cautelosa. No Reino Unido (68%), Alemanha (72%), França (74%) e Espanha (75%), os inquiridos mostraram confiança na crença de que as oportunidades superarão os desafios, em comparação com uma quase unanimidade (94%) no Brasil e na China (94%).

O otimismo alastra-se à criação de emprego. Quase três quartos (73%) dos entrevistados concordam que a transição verde criará mais empregos do que eliminará, e 81% afirmam que criará empregos de maior qualidade para os trabalhadores.

A transição verde exigirá que todos os trabalhadores adquiram Green Skills. As competências verdes intersetoriais mais importantes são a sustentabilidade e reporting (39%), avaliação de impacto ambiental (35%) e compliance associada à sustentabilidade (32%). No entanto, competências em compliance, disclosure e reporting permanecem algumas das mais difíceis de obter.

 Além disso, as competências interpessoais serão importantes. As três principais aptidões procuradas pelas empresas são consciência ambiental (45%), inovação e criatividade (37%) e resolução de problemas (31%).

Em relação à transição verde, dois terços (63%) dos líderes empresariais afirmam que a responsabilidade de a liderar cabe às empresas e não aos legisladores. Apesar disso, as três principais políticas que os líderes empresariais consideram que deveriam ser prioritárias para garantir que o fornecimento de Green Skills são:

  • Apoio aos investimentos das empresas em programas de aperfeiçoamento e requalificação (por exemplo, através de subsídios ou alívios fiscais) – 53%;
  • Apoio à implementação de cursos de competências verdes em instituições de ensino (por exemplo, através de financiamento estratégico) – 49%;
  • Adaptação de programas de trabalho e de formação para pessoas em situação de desemprego para aumentar a ênfase no apoio para as competências verdes – 46%.

“As oportunidades apresentadas pela transição energética são vastas, mas é crucial que tanto as empresas como os legisladores, estejam focados em garantir que as pessoas estejam preparadas com as competências e a formação certas. Sem trabalhadores qualificados, a transição não será concretizada, e os benefícios não serão alcançados”, declara Ignacio Galán, presidente executivo da Iberdrola.

Metodologia do estudo sobre as Green Skills

O programa “Green Skills: impulsionando a transição para um futuro mais sustentável” baseou-se numa revisão abrangente da literatura, uma auditoria de dados, um inquérito mundial com 1 000 líderes empresariais, workshops específicos do setor e um conselho de especialistas no tema.

Não perca informação: Subscreva as nossas Newsletters

Subscrever