Logística

Alterações climáticas podem dificultar 80% das rotas marítimas

As operações marítimas podem ser fortemente afetadas fruto de crescentes problemas climáticos, revelou um novo relatório do Fundo de Defesa Ambiental, uma organização sem fins lucrativos. Segundo o explicado, 80% das rotas e portos poderão ser afetados num futuro próximo, sendo que a subida do nível médio do mar e tempestades tropicais estão entre os principais perigos enunciados por este relatório.

Lembrando que as tempestades já teriam custado milhões de dólares por obrigarem, por exemplo, ao fechamento de portos, o relatório, citado pelo site Supply Chain Brain, dá alguns exemplos, nomeadamente o tufão Maemi que fechou o porto de Busan na Coreia do Sul por 91 dias, em 2003, ou o ciclone Yasi que custou ao porto de Brisbane 52 milhões de dólares e 10 dias de operação em 2011. Mais recentemente, continua o referido documento, o tufão Lekima fechou o porto de Wenzhou, na China, por 45 dias, em 2019, e custou ao Porto de Dalian 65 milhões de dólares.

Mas estes não são os únicos perigos. Segundo a referida publicação, “espera-se que a velocidade do vento, a precipitação e a altura das ondas aumentem com as concentrações de gases de efeito estufa”, sendo que, “o clima foi responsável por pelo menos 80 das 400 perdas de navios entre 2015 e 2019”.

Relembre-se, contudo, que o relatório se baseia em cenários modelados por computador, sendo que, com base em diversas variáveis, se tentam antecipar os danos futuros de tempestades que, no total, segundo as estimativas, podem custar 3 mil milhões de dólares por ano.