Energias Renováveis

Testes de hidrogénio na rede de gás natural promovidos pela Galp vão avançar

A Galp Gás Natural Distribuição (GGND) apresentou o primeiro projeto em Portugal de injeção de hidrogénio verde na rede de gás.

A Galp Gás Natural Distribuição (GGND), detentora de nove empresas de distribuição regional de gás em Portugal, apresentou o primeiro projeto em Portugal de injeção de hidrogénio verde na rede de gás, o Green Pipeline Project. Recorde-se que a intenção inicial era que os testes se iniciassem até junho.

Este projeto vai abranger 80 clientes residenciais, terciários e indústria. Os clientes terão a oportunidade de receber uma mistura de gás natural e hidrogénio já a partir de janeiro de 2022.

Para o CEO da GGND, Gabriel Sousa, “este projeto pioneiro é um marco importante para o sistema energético nacional, porque promove uma mudança para uma economia mais verde, tendo como base uma das redes de distribuição de gás mais modernas da Europa”.

Este projeto é financiado pelo Fundo de Apoio à Inovação (FAI), tendo ao mesmo sido atribuída a avaliação de mérito excecional, pelo seu caráter inovador e relevância no momento atual.

Para o membro da Comissão Executiva do Fundo de Apoio à Inovação, Bruno Veloso,  “a atribuição de mérito excecional ao Green Pipeline Project, é o resultado de um projeto ambicioso, inovador e pioneiro no nosso país, que pretende democratizar o acesso a uma economia mais verde, fazendo desde já, chegar as moléculas de H2 a casa das pessoas, garantindo as condições de segurança e minimizando os impactos pela sua utilização nos equipamentos de queima”.

O hidrogénio verde, combustível 100% renovável, vai ser produzido no Parque Industrial do Seixal, através da parceria da GGND com a empresa portuguesa Gestene. Numa fase inicial do projeto será injetado 2% de hidrogénio na rede de gás natural, subindo gradualmente esta percentagem até um máximo de 20% num período de 2 anos.