Economia Circular

Seis em cada dez portugueses venderam bens em segunda mão no último ano

Mais de metade dos portugueses venderam bens em segunda mão no último ano

Seis em cada dez portugueses declaram ter vendido bens em segunda mão no último ano, um valor igual à média dos europeus. A revelação é do Barómetro Europeu do Consumo Cetelem 2022.

Por faixas etárias, é entre os menores de 35 anos que a prática é mais comum, com oito em cada dez a vender bens em segunda mão. No último ano, 4% dos portugueses venderam bens com frequência semanal, 12% mensalmente e 45% algumas vezes por ano.

A principal razão identificada para este tipo de práticas de economia circular é a económica, isto é, obter rendimentos adicionais. De acordo com o apurado no estudo, os ganhos médios europeus mensais obtidos situam-se nos 77 euros. Em Portugal os consumidores estimam ter ganho 50 euros por mês.

Em termos geracionais, os cidadãos com menos de 35 anos chegam a ganhar 103 euros por mês e os que têm mais de 50 anos geram apenas 42 euros. Por género, os inquiridos do género masculino ganham quase o dobro do género feminino (98 euros contra 58 euros).

Outro dado interessante é que, entre os maiores de 50 anos, 61% optam por doá-los a uma instituição de caridade ou entregá-los gratuitamente e apenas 24% os veem como uma oportunidade de ganhar dinheiro.

Metodologia:

O inquérito quantitativo aos consumidores foi conduzido pela Harris Interactive entre 5 e 19 de novembro de 2021, em 17 países: Alemanha, Áustria, Bélgica, Bulgária, Dinamarca, Espanha, França, Hungria, Itália, Noruega, Polónia, Portugal, República Checa, Roménia, Reino Unido, Eslováquia e Suécia. Foram realizados inquéritos online num total de 15 800 indivíduos (através do método CAWI).