Agricultura

Sistema para tratamento de efluentes da indústria corticeira é criado pelo Politécnico de Coimbra

Politécnico de Coimbra cria sistema para tratamento de efluentes da indústria corticeira

O Instituto Superior de Engenharia do Politécnico de Coimbra (ISECIPC) desenvolveu um sistema inteligente para o tratamento de efluentes provenientes da indústria da cortiça. O projeto, liderado pelo professor no ISECIPC, Luís Castro, tem uma patente submetida.

Em comunicado, o Politécnico de Coimbra revela que o sistema “diferencia-se pela capacidade de tomada de decisão automática, decorrente da análise continua da qualidade do efluente bruto da lavação de rolhas de cortiça”.

O processo inicia-se com recurso a uma consola de controlo, que decide a separação do efluente industrial entre aquele que carece de tratamento físico-químico, daquele que pode ser descarregado diretamente para a rede de saneamento.

O coordenador do projeto, Luís Castro, explica que a solução é “sustentável” por tratar exclusivamente a fração de efluente da indústria corticeira que necessita de tratamento. Dessa forma, reduzindo o consumo de energia bem como a descarga no meio ambiente de produtos químicos usados no tratamento.

O equipamento divide-se em três zonas funcionais:

  • A primeira promove a tomada de decisão acerca da necessidade de tratamento físico-químico do efluente bruto que é bombeado. Caso não possa ser enviado diretamente para a rede de saneamento, passa para a segunda zona.
  • Na segunda zona, o efluente passa pelo processo de tratamento físicoquímico, numa sucessão de fases de tratamento sequenciais que envolvem a coagulação, neutralização e floculação.
  • A terceira e última zona envolve a separação das lamas formadas num decantador lamelar.

Para a pró-presidente do Politécnico de Coimbra para a Inovação e Empreendedorismo, Sara Proença, “trata-se de um sistema inovador que foi objeto de um pedido de concessão de patente, por parte do IPC, junto do Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI).”