Economia Circular

Repsol e Berry Global estabelecem aliança para garantir embalagens sustentáveis

A Repsol e a fabricante de embalagens Berry Global anunciaram, recentemente, um acordo que visa impulsionar a sustentabilidade dos seus produtos. A empresa multinergética ibérica fornecerá poliolefinas circulares à Berry Global, permitindo o contacto com alimentos para as suas embalagens alimentares e sanitárias.

“Estas poliolefinas provêm de uma reciclagem avançada, possibilitada pela adoção de tecnologias de vanguarda na reciclagem química, a partir de resíduos plásticos pós-consumo não adequados para a reciclagem tradicional”, explica a Repsol em comunicado.

Este anúncio junta-se à lista de iniciativas da Berry e da Repsol para impulsionar a economia circular em aplicações de elevado valor acrescentado e com elevadas exigências de higiene e segurança, como embalagens de alimentos e sanitárias.

“Continuamos a utilizar métodos novos e inovadores para criar embalagens ambientalmente mais sustentáveis e estamos orgulhosos por nos associarmos a fornecedores que partilham estas ideias e estão empenhados nesse esforço”, frisou Jean-Marc Galvez, presidente da divisão consumer packaging international da Berry.

De acordo com o responsável, “ao recuperar e retirar o plástico, que de outro modo teria acabado em aterro ou incinerado, estamos a trabalhar para o nosso objetivo comum de promover uma economia circular”.

Para Rafael Jiménez, diretor de poliolefinas da Repsol, esta aliança representa um “avanço” na ambição da empresa de “reciclar o equivalente a 20% da nossa produção de poliolefinas”.

A Berry Global fixou a meta de incorporar 10% de conteúdo reciclado no seu negócio de embalagens para bens de consumo, no âmbito da sua estratégia de sustentabilidade. Já a Repsol estabeleceu como objetivo até 2050 alcançar zero emissões líquidas.