Economia Circular

Repsol, Enerkem e Agbar querem construir primeira fábrica de transformação de resíduos ibérica

A Repsol vai juntar-se ao projeto Ecoplanta para contruir a primeira fábrica ibérica de conversão de resíduos para novos produtos químicos.

A Repsol vai juntar-se ao projeto Ecoplanta, em conjunto com a tecnológica Enerkem e a Agbar, empresa especialista em gestão de água e resíduos, para construir a primeira fábrica ibérica de conversão de resíduos para novos produtos químicos.

Em comunicado, a Repsol revela que a joint-venture Ecoplanta Molecular Recycling Solutions terá capacidade para processar cerca de 400.000 toneladas de resíduos sólidos urbanos não recicláveis dos municípios circundantes e produzir 220.000 toneladas de metanol.

O metanol produzido tem como destino ser utilizado como matéria-prima para a produção de materiais circulares ou biocombustíveis avançados, evitando assim a emissão de 200.000 toneladas de CO2, e a redução dos resíduos cujo destino seria o aterro sanitário.

A decisão final de investimento deste projeto deverá acontecer no primeiro trimestre de 2022 e está previsto que a fábrica entre em funcionamento em 2025. O projeto já obteve a Autorização Ambiental Integrada e a aprovação da Declaração de Impacto Ambiental pelas autoridades locais.

A fábrica irá utilizar tecnologia de gaseificação para transformar resíduos sólidos urbanos em produtos de alto valor acrescentado, tal como o metanol. A Enerkem detém a patente desta tecnologia.

O projeto foi selecionado para a fase II do Fundo de Inovação da União Europeia, que se foca em tecnologias altamente inovadoras e em projetos emblemáticos na Europa, que tenham como objetivo uma redução significativa das emissões.