Agricultura

Vinhos do Alentejo e Águas de Portugal juntas no combate às alterações climáticas

A Comissão Vitivinícola Regional Alentejana assinou um protocolo com a Águas de Portugal, para mitigar as alterações climáticas.

A Comissão Vitivinícola Regional Alentejana (CVRA) assinou um protocolo de dois anos com a Águas de Portugal (AdP VALOR), que pretende mitigar as alterações climáticas, promovendo a economia circular e combatendo a desertificação do Alentejo. A cooperação entre as duas entidades já resultou no projeto AQUA VINI, financiado pelo Fundo Ambiental do Ministério do Ambiente, que se iniciou em março, na Herdade da Ravasqueira. Esse projeto pretende fomentar a reutilização de água na atividade vitivinícola.

Em comunicado, a CVRA afirma que o protocolo pretende reforçar as ações no âmbito da reutilização de águas residuais, reaproveitamento de lamas de estações de tratamento de águas residuais (ETAR); sustentabilidade e economia circular; e projetos de inovação, estando alinhado com o propósito do Programa de Sustentabilidade dos Vinhos do Alentejo (PSVA), lançado em 2015.

Durante os dois anos de duração do protocolo, pretende-se desenvolver projetos de Investigação & Desenvolvimento (I&D) – em que se insere o AQUA VINI –, através da:

  • promoção de candidaturas a programas de financiamento, de âmbito nacional e comunitário:
  • participação conjunta em projetos cofinanciados;
  • dinamização de atividades de sensibilização, workshops e conferências:
  • promoção de iniciativas que fomentem a economia circular no Alentejo.

Em particular, o AQUA VINI é um projeto que permitirá estudar “a reutilização de água na atividade de regadio, os efeitos desta aplicação no desenvolvimento das culturas irrigadas e o impacto nos recetores ambientais solo e recursos hídricos, bem como nos sistemas de rega”, esclarece a AdP VALOR.