Consumo Ético

Pandemia fez aumentar moda em segunda mão

Apenas seis marcas de roupa assumem responsabilidade parcial pelos seus resíduos

De acordo com um estudo desenvolvido pela Micolet, uma loja de compra e venda de roupas em segunda mão, a circularidade no setor da moda registou um aumento durante a pandemia.

O estudo, feito a mulheres com idades compreendidas entre os 18 e os 65 anos de todo o território português, revela que 5% das mulheres compraram roupa em segunda mão, sendo que este este segmento já representa 3% do guarda-roupa das mulheres portuguesas.

estudo desenvolvido pela Micolet

A Micolet revela ainda que 39% das mulheres já compra roupa em segunda mão, principalmente a geração millennials, com 54% das compradoras. Notar que 3% das mulheres que ainda não compraram em segunda mão justificam que não sabem onde fazê-lo.

estudo desenvolvido pela MicoletDurante o confinamento, 54% das mulheres inquiridas fizeram uma limpeza no armário, sendo que 40% da roupa descartada foi doada, 33% oferecia a familiares e amigos, 16% reciclada e 4% vendida em plataformas de venda de roupa em segunda mão.

 

As principais motivações para comprar em segunda mão seguem esta ordem e importância: economizar, sustentabilidade e a possibilidade de encontrar artigos exclusivos, conclui o estudo.

Não perca informação: Subscreva as nossas Newsletters

Subscrever