Mobilidade

Em 2030, vendas de elétricos podem ultrapassar vendas de veículos a combustão

iStock 1441621259

Um novo estudo a cargo da EY mostra que as vendas de veículos elétricos estão prestes a ultrapassar as vendas de veículos a combustão. Segundo o reportado, as vendas combinadas de veículos elétricos nos Estados Unidos, China e Europa superarão as vendas de carros de outras motorizações já em 2030.

As previsões avançadas pela consultora mostram também que a Europa irá liderar o pelotão da eletrificação. Até 2027, as vendas de EV’s serão superiores às de outras motorizações, sendo que a tendência chegará mais tarde à China e Estados Unidos, onde o mercado eletrificado só ultrapassará o a combustão em 2032.

“Apesar de uma série de ventos contrários relacionados com fatores económicos e com os custos da energia nos últimos 12 meses, a revolução elétrica continua a ganhar força”, começou por explicar Randall Miller, Líder Global de Produção e Mobilidade Avançada da EY.

“Na Europa, as vendas de carros em geral caíram e esperamos que a mudança para os veículos elétricos seja potencialmente difícil se a crise de energia persistir. Isso exigirá mais assistência dos governos para manter o ritmo atual. Na China, enquanto esperamos que os EVs dominem as vendas até 2032, também vemos os híbridos a aumentar a sua participação no mercado até 2050. Apesar disso, os EUA terão de lidar com os problemas da cadeia de abastecimento e os ventos contrários da recessão, concentrando-se na infraestrutura de carregamento e no desenvolvimento de baterias no país para realmente avançar com os veículos elétricos”, sistematiza.

Noruega lidera pelotão da e-mobilidade e Hyundai já só vende elétricos… na Noruega

A Noruega tem vindo a ser notícia durante os últimos anos pela sua forte aposta no mercado de veículos elétricos. Para se ter uma ideia, o país está tão avançado neste domínio que apenas 20% dos carros vendidos em 2022 não foram elétricos.

Mas há mais notícias positivas relacionadas com o segmento. Já este ano, a Hyundai, fabricante automóvel, precisamente no primeiro dia de 2023, anunciou que já não irá vender mais modelos a combustão na Noruega.