Economia Circular

PepsiCo aposta em biodigestor na sua fábrica em Portugal

PepsiCo entra no negócio de iogurtes nos EUA

Um biodigestor vai ser construído pela PepsiCo Portugal na sua fábrica de snacks no Carregado. Com início de construção previsto para abril deste ano, o projeto pretende transformar os resíduos orgânicos em biogás e conta com um investimento total de 7,5 milhões de euros.

Segundo explicado em comunicado, o biodigestor vai permitir reduzir 30% as emissões de carbono da unidade no Carregado e contribuir para a redução do consumido de gás. A instalação vai utilizar o biogás produzido durante o processo de digestão anaeróbia (processo biológico em que o material, na ausência de oxigénio, através da ação de um grupo de bactérias orgânicas específicas, é decomposto em produtos gasosos ou “biogás”).

O biogás vai ser utilizado diretamente como combustível nas várias fases da produção, assim como para a higienização das linhas de produção e aquecimento das águas sanitárias dos balneários e refeitório.

O projeto utilizará as lamas produzidas na estação de tratamento de águas residuais da fábrica e as cascas de batata, assim como outros resíduos alimentares impróprios para consumo.

“O novo biodigestor terá a capacidade de converter mais de 21 900 toneladas de resíduos orgânicos por ano em 4 818 000 Nm3 de biometano por ano, o que equivale a uma redução de 30% nas emissões de carbono durante o processo de produção. Além disso, permitirá que a nossa unidade de negócio continue a ser um case study em termos de nível das boas práticas de sustentabilidade na PepsiCo a nível europeu”, refere o Plant Manager da PepsiCo em Portugal, Nelson Sousa.

O projeto faz parte da estratégia de sustentabilidade PepsiCo Positivo (pep+), que tem como objetivo reduzir as emissões de gases com efeito de estufa (GEE) em mais de 40% até 2030 e alcançar as zero emissões líquidas até 2040.