Reciclagem

Recolha seletiva cresceu 5% em 2023, diz EGF

Recolha seletiva cresceu 5% em 2023, diz EGF Direitos Reservados

A EGF, empresa responsável pelo tratamento e valorização de resíduos urbanos, registou um aumento de 5% na recolha seletiva total em 2023, que incluiu embalagens, madeira, biorresíduos e monstros.

De acordo com a empresa, que atua em 174 municípios do território continental, a recolha seletiva de papel e cartão registou um aumento de 1,3%. Já a recolha de plástico e metal apresentou uma subida de 3,3%.

Estes aumentos na recolha espelham “o contínuo investimento por parte da EGF em aumentar a capacidade de recolha das suas concessionárias, através dos ecopontos, da recolha doméstica porta-a-porta e da recolha junto do comércio”, refere a empresa em comunicado.

Relativamente à recolha seletiva de vidro, a empresa afirmou que “contraria a tendência de crescimento”, tendo registado um decréscimo de 2,4% de embalagens de vidro recolhidas em 2023. A EGF salientou que este facto está ainda em estudo, mas que pode indiciar uma alteração de hábitos de consumo.

No mesmo sentido, registou-se também um decréscimo de 1,3% no que toca aos resíduos indiferenciados, de acordo com a empresa, trata-se de uma redução “ainda pouco significativa face aos objetivos de prevenção de resíduos, mas que já ilustram uma tendência descendente”.

Recolha de biorresíduos aumentou 24%

 Relativamente à recolha seletiva de biorresíduos, a EGF avança ter registado “um crescimento relevante” na ordem dos 24%, e salienta que “esta é uma recolha que se encontra numa fase inicial em todo o país”.

“Estes valores correspondem a 100 dos 174 municípios da área de intervenção das concessionárias da EGF que entregaram verdes ou restos alimentares para valorização, num total de 100 mil toneladas”, afirmou a empresa.

Não perca informação: Subscreva as nossas Newsletters

Subscrever

Download SU

Não perca informação: Subscreva as nossas Newsletters

Subscrever