Mobilidade

Deloitte apresenta as 12 tendências que vão marcar o futuro das cidades até 2030

Urban Future with a Purpose” é o novo estudo da Deloitte Global que identifica as 12 tendências que marcam o futuro das cidades no caminho para se tornarem sustentáveis, resilientes e prósperas num cenário pós-covid. A empresa explica, em comunicado, que o trabalho de pesquisa foi liderado pela equipa da Deloitte Portugal especialista nos temas de cidades e governos locais.

As tendências são:

  1. Planeamento verde de espaços públicos – “As cidades estão a ser planeadas e
    desenhadas para as pessoas, com ruas ‘verdes’ e espaços públicos como centros
    de sociabilidade”, explica a empresa;
  2. Cidades dos 15 minutos – Bairros onde a maioria dos serviços se encontra a cerca de 15 minutos de distância a pé ou de bicicleta;
  3. Serviço e planeamento inclusivos – Participação, acesso a habitação e igualdade de
    oportunidades a todos os cidadãos;
  4. Comunidades de saúde inteligentes – Ecossistemas de saúde que não se concentram apenas no diagnóstico e tratamento de doenças, mas também no apoio ao bem-estar através de intervenção e prevenção precoces;
  5. Mobilidade: inteligente, sustentável e “as-a-service” – A Deloitte considera que “com mais espaços para caminhadas e mais ciclovias, as cidades estão a trabalhar para oferecer mobilidade digital, limpa, inteligente, autónoma e intermodal”;
  6. Ecossistemas de inovação digital – “As cidades atraem talento, estimulam a criatividade e o pensamento disruptivo”, explica a empresa;
  7. Economia circular e produção local
  8. Participação em massa ­– Promoção da participação em massa de academia, empresas e associações, de forma colaborativa;
  9. Cibersegurança e consciência da privacidade;
  10. Edifícios e infraestrutura inteligentes e sustentáveis;
  11. Inteligência artificial aplicada às operações da cidade;
  12. Inteligência artificial aplicada à vigilância e policiamento preditivo.

“Estas 12 tendências, fruto de um estudo pioneiro coordenado inteiramente pela
equipa da Deloitte Portugal, definem o cenário para um futuro urbano resiliente e
sustentável”, afirmou o líder global de Smart Cities da Deloitte, Miguel Eiras Antunes.

“As conclusões deste estudo podem ajudar os governos a desenvolver as suas estratégias de transformação urbana, mas também a equilibrar as pressões de curto prazo com as necessidades de longo prazo”, explicou o responsável.

A pesquisa foi realizada com recurso a 15 entrevistas a especialistas de diversas áreas, incluindo líderes de cidades em várias regiões do globo, líderes de organizações internacionais, instituições de políticas públicas, urbanistas e investigadores. De entre os municípios portugueses destaca-se a participação de Cascais e Porto.