Retalho

Henkel faz balanço dos 30 anos da aposta em sustentabilidade

A Henkel – empresa com negócios nas áreas de adesivos, de Laundry & Home Care e Beauty Care – publicou o seu 30º relatório de sustentabilidade, fazendo um balanço da sua aposta na sustentabilidade. Em comunicado, a empresa recorda que foi em 1992 que publicou o seu primeiro relatório específico de sustentabilidade denominado “Relatório do Meio Ambiente”.

“Nestes 30 anos, alcançámos marcos muito relevantes em termos de sustentabilidade e responsabilidade social, desde o lançamento do programa de voluntariado MIT em 1998, até à obtenção do selo de sustentabilidade DGNB Gold na fábrica de adesivos para a indústria aeroespacial em Montornés em 2020”, refere a diretora de comunicação corporativa da Henkel Ibérica, Elisenda Ballester.

Alguns objetivos

Em 2010, a Henkel definiu uma estratégia para a sustentabilidade a longo prazo até 2030, com base na criação de mais valor com menos recursos. Como parte desta estratégia de sustentabilidade global, a Henkel tem objetivos em três áreas específicas: a proteção climática, a economia circular e o impacto social.

Para reduzir as emissões de CO2 e limitar o aquecimento global, a Henkel pretende a longo prazo tornar-se numa empresa 100% positiva para o clima até 2040. A empresa tem uma meta de reduzir a pegada de carbono da sua produção em 65% até 2025. Em 2030, a Henkel quer utilizar apenas eletricidade proveniente de fontes renováveis.

Além disso, a Henkel quer atingir a meta de 100 milhões de toneladas economizadas até 2025. Para o mesmo ano, a empresa quer que 100% das embalagens sejam recicláveis ou reutilizáveis (excluindo os produtos adesivos). No final de 2020, a empresa já tinha alcançado essa meta em cerca de 89% das suas embalagens.

A empresa pretende aumentar em 30% a proporção de plástico reciclado em todos os produtos de bens de consumo até 2025. No final de 2020, essa proporção era de cerca de 15%.

Pode consultar o relatório de sustentabilidade completo aqui.