Tendências

DHL diz que tendências apontam para uma logística “justa e responsável”

logística armazém

A DHL publicou recentemente o estudo ‘Logística Justa e Responsável’, um trabalho que pretende esclarecer “uma tendência que está a transformar a forma como as empresas operam, garantindo lucros crescentes a par da sustentabilidade”.

O estudo foi desenvolvido pela equipa DHL Research Trend e descreve 15 potenciais soluções para mostrar como as empresas de logística podem facilitar a economia circular e permitir o acesso, a produção e o comércio justos.

“A indústria logística pode liderar uma transformação justa e responsável. Nas condições ambientais atuais, a garantia de um futuro sustentável torna-se um desafio cada vez maior, com a produção e o consumo em massa que estão na origem de desequilíbrios nas sociedades globais e no meio ambiente”, refere o relatório.

Outra das ideias que está subjacente neste estudo é a de que “fazer certo advém de fazer bem”. Ao adotar esta abordagem, diz a DHL, “a indústria logística pode alavancar a sua posição na gestão de redes comerciais globais, de cadeias de abastecimento e acelerar negócios ‘justos e responsáveis’ noutras indústrias.”

“Assistimos a uma crescente procura de práticas comerciais justas e responsáveis de todos os intervenientes, e acreditamos que o setor da logística pode acelerar a adoção desta tendência”, explica Markus Kückelhaus, vice-presidente de Inovação e Pesquisa de Tendências, Soluções e Inovação para Clientes da DHL.

“A indústria logística é um negócio em rede com um alcance global, que pode desempenhar um papel fundamental para ajudar as empresas a serem mais responsáveis e a melhorarem a transparência em toda a sua cadeia de abastecimento. Ao dar primazia a este conceito de ‘logística justa e responsável’ no nosso próprio negócio, novos fluxos de receitas poderão surgir, bem como novo valor social e ambiental para todas as partes interessadas”, refere o estudo.

Mais, o relatório refere que os fornecedores de serviços de logística, por exemplo, podem recorrer a armazéns e veículos destinados à reciclagem que fornecem infraestruturas tanto a nível logístico como de aproveitamento de resíduos para aumentar volumes de reciclagem e reduzir o desperdício.

“Esta solução prevê veículos equipados com interiores flexíveis que se ajustam durante a entrega; a secção de entrega ajusta-se consoante os volumes que são descarregados e a área de recolha de materiais recicláveis aumenta à medida que são recolhidos na viagem de regresso”, explica.

Outra inovação é a de “logística unverpackt”, um conceito que elimina completamente a necessidade de embalagem, uma vez que os envios deverão ser entregues em caixas reutilizáveis, numa abordagem de resíduos-zero.

Não perca informação: Subscreva as nossas Newsletters

Subscrever