Agricultura

Central Solar do Cercal vai acolher projeto-piloto agrivoltaico

Aquila Clean Energy e Universidade de Évora desenvolvem projeto agrivoltaico na Central Solar do Cercal

Um projeto-piloto de agrivoltaico (existência de painéis solares e culturas agrícolas no mesmo local) vai ser desenvolvido na Central Solar Fotovoltaica do Cercal, em Santiago do Cacém. O projeto é desenvolvido pela Aquila Clean Energy EMEA, plataforma de energias renováveis da Aquila Capital na Europa, em parceria com a Cátedra de Energias Renováveis da Universidade de Évora (CER-UÉ).

A iniciativa pretende identificar as melhores práticas agrícolas e espécies a cultivar na área de implantação da central, entre os painéis solares, mas também nas áreas envolventes não utilizadas.

Segundo explicado em comunicado, o projeto pretende também “responder a uma das principais preocupações sentidas localmente, que questionava a viabilidade da produção agrícola nas terras onde serão instalados os módulos solares”.

Numa primeira fase, serão estudadas estratégias de compatibilização da Central Solar Fotovoltaica do Cercal com as atividades agrícolas e de conservação, evoluindo, posteriormente, para a definição de projetos-piloto para ensaiar as estratégias de compatibilização identificadas. O projeto culminará na produção de conhecimento através de publicações científicas.

Para o Head of Development & Construction da Aquila Clean Energy em Portugal, Manuel Silva, “esta parceria com a Universidade de Évora traduz a preocupação da Aquila Clean Energy com a sustentabilidade e com as comunidades locais. Queremos assegurar que a construção da central fotovoltaica do Cercal, essencial para atingir as metas que garantam uma transição energética efetiva em Portugal, permitirá a manutenção de práticas agrícolas e de pastoreio, o que responde a uma das principais preocupações suscitadas localmente”.

Já a reitora da Universidade de Évora, Hermínia Vasconcelos Vilar, destaca que “a experiência e o conhecimento técnico-científico dos investigadores da Cátedra de Energias Renováveis serão absolutamente determinantes para o sucesso deste ambicioso projeto-piloto que assenta na coexistência de painéis solares e culturas agrícolas num mesmo local”.