Desplastificação

Investigadores da FCUP querem criar enzimas para degradar plástico

Uma equipa da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto (FCUP) quer desenvolver, até 2023, uma solução industrial para acelerar a degradação dos resíduos de plástico (PET).

Em nota publicada em site, a FCUP revela que investigadores do grupo de bioquímica computacional da faculdade querem ajudar a resolver o problema do PET, que possui “graves consequências para o meio ambiente e para a saúde humana”.

O método utilizado vai ser o desenvolvimento de uma solução industrial com base em enzimas modificadas por simulações de supercomputador, que sejam capazes de degradar pedaços de plástico em poucos minutos. A bactéria Ideonella Sakaiensis, que referem, em comunicado, ser “conhecida pela sua capacidade para degradar o plástico”, vai ser a aposta para a criação dessas enzimas.

A decorrer até 2023, o projeto europeu Biodegrading Plastics tem já o apoio do programa PRACE (Parceria para a Computação Avançada na Europa) e envolverá simulações do supercomputador Mare Nostrum, em Barcelona, bem como testes nos laboratórios do Instituto Real das Tecnologias de Estocolmo.