Mobilidade

Scania compromete-se com a eletrificação

Scania

A Scania, empresa de fornecimento de soluções de transporte, comprometeu-se com a adoção de um sistema de transporte sustentável. “Os veículos elétricos a bateria serão a principal ferramenta para orientar esta mudança e para permitir soluções de transporte descarbonizadas com uma melhor economia para os clientes”, revela a Scania, em comunicado.

“Vemos que as soluções eletrificadas são a primeira tecnologia de emissões de escape zero para alcançar o mercado de uma forma ampla. Para o cliente, o veículo elétrico necessita de menos manutenção do que um veículo convencional, significando um tempo de produção maior e custos melhorados por km, ou horas de operações”, afirma Alexander Vlaskamp, diretor de vendas e marketing na Scania. “Aprendemos com o segmento de autocarros onde a transformação começou antecipadamente, e as opções elétricas têm uma grande procura. O timing da Scania nesse segmento não foi o melhor, no entanto, proporcionou boas experiência e estamos, atualmente, a acelerar com a nova gama de autocarros Scania”, acrescenta.

A empresa já tinha lançado um camião totalmente elétrico e ainda um camião híbrido plug-in. Dentro de alguns anos, “a Scania planeia introduzir camiões elétricos de longa distância que conseguirão transportar um peso total de 40 toneladas durante 4,5 horas, e carregamento rápido durante os restantes 45 minutos obrigatórios do motorista”, informa a empresa.

Em 2025, a Scania espera que os veículos elétricos abarcam cerca de 10 por cento dos volumes de vendas totais de veículos na Europa e em 2030, que chegue aos 50 por cento dos volumes de vendas de veículos totais.

Compromisso com mais produtos elétricos

Com os objetivos Scania Science Based Targets “conseguiremos que a empresa reduza as emissões de CO2 das suas próprias operações em cerca de 50% em 2025 comparativamente a 2015, assim como as emissões dos veículos dos nossos clientes em 20% durante o mesmo período”, revela a Scania, em comunicado.

A Scania vai utilizar o cálculo de emissões “Well to Wheel” (considera as emissões GEE (gases de efeito estufa) produzidas no ciclo completo durante a obtenção, produção e transporte do combustível, assim como as geradas durante o uso do veículo.) “que é mais exigente que muitas das regulações legislativas que se concentram no cálculo “Tank to Wheel” (considera somente as emissões diretas durante o uso do veículo)”.

A empresa “compromete-se a lançar cada ano pelo menos uma nova aplicação eletrificada no segmento de autocarros e camiões”.