Mobilidade

“Os veículos elétricos são algo bom – mas não se todos tiverem um”

“Os veículos elétricos são algo bom – mas não se todos tiverem um”

O Centre for Research on Multinational Corporations (SOMO), entidade que conduz investigação sobre empresas multinacionais, com o intuito de uma maior responsabilização, declarou que “os veículos elétricos são algo bom – mas não se todos tiverem um”. De acordo com a entidade, a União Europeia deve priorizar o transporte público e partilhado.

O SOMO alerta que, com a expetativa de aumento em quase oito vezes da capacidade de produção de gigafábricas de baterias de lítio entre 2021 e 2031, estas fábricas irão consumir recursos não renováveis, a maioria extraídos do sul do planeta.

“Os veículos elétricos são parte da solução para as alterações climáticas. Mas o tamanho e o grande volume da produção planeada de veículos elétricos não são sustentáveis”, disse o especialista da SOMO, Alejandro González. “Precisamos de menos carros, de carros mais pequenos e de opções de transportes públicos mais sustentáveis. Este aspeto deve estar no cerne da política de transição energética da UE”, considera.

O alerta surge num momento em que a UE vai anunciar o Critical Raw Materials Act, um projeto de lei que visa garantir que a UE consegue aceder aos minerais necessários para apoiar as indústrias envolvidas nas energias renováveis e nos transporte.

A UE pretende “inclinar a balança de poder” a seu favor em cadeias de abastecimento críticas para o que designa por “o novo petróleo e gás na utilização das políticas comerciais e de desenvolvimento como alavanca.

“A UE está a regular as baterias com uma mão, mas a impulsionar a procura de minerais para as mesmas baterias com a outra; isso é incoerente como política e continua a tratar países ricos em recursos como Argentina, Chile, RDC e Indonésia como meras fontes de materiais”, entende Alejandro González.

Não perca informação: Subscreva as nossas Newsletters

Subscrever