Descarbonização

Portugal é o 18º melhor em desempenho ambiental na Europa

Portugal é o 18º melhor em desempenho ambiental na Europa

O Índice de Transição Verde (GTI), desenvolvida pela consultora estratégica Oliver Wyman, revelou que Portugal ocupa a 18ª posição (em 29) na Europa relativamente ao progresso em sustentabilidade e redução de emissões de carbono.

Os lugares cimeiros são ocupados pelos Países Baixos e Dinamarca. Nos últimos lugares estão a Bulgária e o Chipre. Segundo explicado em comunicado, o estudo analisou o desempenho com base em sete categorias-chave:

  1. utilização de tecnologias de transição pelas empresas energéticas;
  2. o grau de sustentabilidade ambiental do sistema económico de cada país;
  3. as emissões da indústria transformadora;
  4. a qualidade ambiental dos transportes;
  5. a sustentabilidade dos edifícios;
  6. o grau de circularidade na gestão de resíduos;
  7. e o nível de conservação da natureza.

As melhores pontuações

Portugal destaca-se positivamente nas categorias de Edifícios e de Energia, nas quais surge em segundo e quinto lugar, respetivamente.  Na categoria de Edifícios, o País destaca-se pela utilização de energias renováveis para aquecimento doméstico (segunda posição, com 57%), e pelo consumo de eletricidade per capita (oitava posição, com 0.11 toe/capita vs 0.16 média).

Portugal contraria a tendência dos países ocidentais na categoria de Edifícios, uma vez que a maioria destes países têm um fraco desempenho nas energias renováveis, dependendo fortemente dos combustíveis fósseis no aquecimento residencial.

O Índice refere ainda que, relativamente ao número de projetos de edifícios construídos com certificações de construção sustentável (Leed, Breeam, HQE, DGNB), Portugal ocupa a décima nona posição.

No que diz respeito à Energia, Portugal ocupa a segunda posição em dimensão de projetos de hidrogénio verde em relação ao PIB (cinco vezes a média dos países europeus em 2021), a quinta posição em capacidade dos projetos de armazenamento relacionados com baterias e décimo lugar no ranking de peso das energias renováveis e biocombustíveis na produção de eletricidade (60% vs 45% média em 2020).

iStock 1446451665

As piores posições

No sentido contrário, o País não tem, ao contrário de metade dos países europeus, projetos CCS (Captura e Armazenamento de Carbono). Portugal possui ainda o pior desempenho na Gestão de Resíduos e Conservação da Natureza, 27ª e 25ª posições, respetivamente.

Relativamente à categoria de Gestão de Resíduos, Portugal encontra-se nas piores posições do ranking, com resultados negativos nos três indicadores:

  • 27º em termos de resíduos gerados per capita: 0.51 ton (22% acima da média);
  • 26º em termos de taxa de circularidade: 2% vs >20% em países líderes, como Holanda, Bélgica, França e Itália;
  • 26º em termos de resíduos depositados em aterros per capita: 263kg em 2020 (81% superior à média, <10kg em países líder).

Já relativamente à Conservação da Natureza, o País ocupa o último lugar com apenas 3% de áreas terrestres e marinhas protegidas em percentagem da área total do país, sendo a média europeia de 17%.

iStock 1320346920