Agricultura

Estudo: Efluentes pecuários são alternativa sustentável aos adubos minerais

A aplicação de efluentes pecuários nos terrenos agrícolas é uma alternativa aos adubos minerais, refere um estudo do Instituto Superior de Agronomia (ISA), da Universidade de Lisboa. Em comunicado, a iniciativa suinícola “Let’s Talk About Pork From Europe” afirma que o estudo sugere a economia circular como resolução para os efluentes suinícolas.

O professor auxiliar do Centro de Investigação em Agronomia, Alimentos, Ambiente e Paisagem (LEAF), do Instituto Superior de Agronomia (ISA) – Universidade de Lisboa, David Fangueiro, defende o recurso a chorume de porco em terrenos agrícolas como solução para o problema da concentração geográfica da produção suinícola.

Num estudo realizado pelo ISA, no âmbito dos projetos Nutri2cycle (EU-H2020) e CleanSlurry (Portugal – FCT), a proposta é da “aplicação direta em solos agrícolas em alternativa ou complemento dos adubos minerais como solução para a produção de grandes quantidades de efluente líquido, e a eventual exportação, em áreas que não conseguem receber todo o efluente”.

A “Let’s Talk About Pork From Europe” refere que “esta solução vem reforçar a posição dos suinicultores portugueses que, há vários anos, propõem a valorização dos efluentes suinícolas como uma alternativa aos fertilizantes químicos, apresentando-a ainda como uma solução mais barata e que pode melhorar as condições ambientais de terrenos pobres em minerais”.

Conforme o apurado pelo estudo do ISA, o chorume de porco é composto por mais de 90% de água e uma apreciável concentração em nutrientes NPK, contendo ainda Ca, Mg, S, Cu, Zn, Mg e B.