Mobilidade

Vendas de carros elétricos e híbridos vai atingir novo recorde mundial em 2024

Vendas de carros elétricos e híbridos vai atingir novo recorde mundial em 2024 iStock

Apesar da desaceleração do crescimento em alguns mercados, as vendas de carros elétricos e híbridos vão atingir um novo valor recorde a nível mundial em 2024, é a previsão da Agência Internacional de Energia (AIE).

A AIE avançou que 17 milhões de veículos elétricos e híbridos vão ser vendidos durante este ano, um aumento de mais de 20% em comparação com 2023.

Segundo a Agência Internacional de Energia, no primeiro trimestre de 2024, houve mais vendas de elétricos e híbridos do que em todo o ano de 2020.

A AIE também enfatizou que, à medida que os preços dos veículos elétricos caírem, a maioria vai custar o mesmo que os seus equivalentes a gasolina até 2030.

Apesar de as fábricas de veículos elétricos terem vindo a apontar que a procura está a desacelerar, o que tem levado os fabricantes a oferecer descontos e preços mais baixo para competir no mercado, a AIE refere que, embora isto possa estar a prejudicar alguns fabricantes, os preços mais baixos vão acelerar a transição.

De acordo com Fatih Birol, economista de energia da AIE, reconheceu que as vendas de carros elétricos e híbridos são mais fortes em alguns países do que em outros, no entanto, apontou também para o facto de existir um “impulso claro” para a transição.

“Em vez de diminuir, a revolução mundial dos veículos elétricos parece estar a preparar-se para uma nova fase de crescimento”, afirmou o economista, citado no The Guardian.

E continua: “a onda de investimento no fabrico de baterias sugere que a cadeia de abastecimento de veículos elétricos está a avançar para dar resposta aos ambiciosos planos de expansão dos fabricantes. Como resultado, espera-se que a presença de veículos elétricos nas estradas continue a subir rapidamente”.

Segundo a Agência Internacional de Energia, os veículos híbridos ainda emitem grandes quantidades de CO2, embora alguns especialistas na indústria automóvel argumentem que, se usados corretamente, são um passo necessário para reduzir as emissões até que as infraestruturas de carregamento público melhorem.

Alguns países estão concentrados em incentivar a adoção de veículos elétricos, por exemplo, quatro quintos de todos os carros vendidos na Noruega em 2023 foram elétricos. No entanto, segundo a AIE, as políticas variam muito de país para país, com a China e os países europeus mais desenvolvidos, por norma, à frente do resto do mundo, incluindo também neste rol os Estados Unidos da América (EUA).

Para a Agência Internacional de Energia, o momento da adoção de carros elétricos na Europa será fortemente influenciado pelos regulamentos implementados, uma vez que os fabricantes estão a tentar obter lucros com os seus modelos de veículos a gasolina e a diesel, evitando multas por não venderem carros elétricos suficientes.

 

Não perca informação: Subscreva as nossas Newsletters

Subscrever

Download SU

Não perca informação: Subscreva as nossas Newsletters

Subscrever