Tecnologia

Nova plataforma liga pescadores para melhorar sustentabilidade

Uma coligação global de parceiros que trabalham e colaboram na pesca de pequena escala lançou o SFF Hub, um hub de recursos e colaboração de pesca de pequena escala, para pescadores. O objetivo da plataforma é melhorar a sustentabilidade e os meios de subsistência, revela a coligação, em comunicado.

“O SSF Hub vai ligar pescadores e outras partes interessadas em todo o mundo para aprenderem entre si, partilharem informações e, em última análise, promoverem um maior bem-estar, um uso sustentável do mar e uma melhor conservação da natureza marinha e fluvial”, afirmou Simon Cripps, diretor executivo para a conservação marinha da Wildlife Conservation Society.

“O acesso a informações e experiências de todo o mundo contribui para o empoderamento dos atores da pesca de pequena escala, permitindo-lhes uma melhor participação ou condução nos processos de tomada de decisões sobre os seus meios de subsistência”, afirmou Vera Agostini, vice-diretora da Divisão de Pescas da FAO.

A plataforma está disponível em 20 idiomas e possui fóruns de discussão online, grupos regionais e baseados em tópicos, infografias, ferramentas, vídeos e estudos de casos.  O SSF Hub pode ser acedido quer por meio de dispositivos móveis ou computadores e inclui tradução instantânea.

O lançamento do SSF Hub coincide com a reunião anual do Comité das pescas da Organização para a Alimentação e a Agricultura da ONU, que se realiza esta semana, e dá resposta às Diretrizes Voluntárias para Assegurar a Pesca de Pequena Escala Sustentável no Contexto da Segurança Alimentar e da Erradicação da Pobreza (ou Diretrizes PPE), “a fim de apoiar os meios de subsistência dos pescadores de pequena escala e das comunidades piscatórias”.

O SSF Hub foi desenvolvido por uma coligação composta: pela ABALOBI ICT4FISHERIES, um empreendimento social direcionado para os pescadores, sediado em África; pela Blue Ventures, que desenvolve abordagens de conservação marinha; pela Conservation International, que quer impulsionar a inovação e investimentos que respondam à crise climática; pelo Environmental Defense Fund, uma organização internacional sem fins lucrativos; pela Fauna & Flora International, que quer proteger espécies e ecossistemas ameaçados em todo o mundo; pela International Pole & Line Foundation, que promove a captura sustentável de atum; pela Ocean Outcomes, que quer melhorar a sustentabilidade do setor da pesca; pela Oceana, uma organização internacional de patrocínio dedicada exclusivamente à conservação dos oceanos; pela Wildlife Conservation Society, que protege espécies ameaçadas; e pelo World Wildlife Fund, uma organização de conservação independente.